Este poema-epístola enviado como carta por Paulo Leminski ao poeta e amigo Régis Bonvicino integra um conjunto que, para o último, não só confirma a ideia de dissolução de limites na poesia de Leminski, como também mostra seu processo criativo e sua concepção de poesia.

S.l., outubro de 1977

…e tem que ser assim o signo é nosso destino nossa desgraça e nossa glória uma aranha sempre sabe que depois desta teia virá outra teia e outra teia e…

Joaquim Nabuco era aluno do Colégio Pedro II e tinha apenas 15 anos quando escreveu esta carta a Machado de Assis em resposta à saudação que o autor de Dom Casmurro lhe fizera no folhetim “Ao Acaso”, do Diário do Rio de Janeiro, em 31 de janeiro de 1865.

Rio de Janeiro, 1º de fevereiro de 1865

…do pouco préstimo daquele seu criado obrigado Joaquim Nabuco Correspondência Machado de Assis & Joaquim Nabuco. Organização de Graça Aranha. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras/Topbooks, 2003, pp. 89-90….

Em 1868, Castro Alves viajou para o Rio de Janeiro com a atriz Eugênia Câmara, por quem se apaixonara no Recife. Fora recomendado a José de Alencar, que, nesta carta, publicada no Correio Mercantil em 22 de fevereiro, apresenta o poeta de “O navio negreiro” a Machado de Assis.

Tijuca [Rio de Janeiro], 18 de fevereiro de 1868

…presas da teia de aranha, se debatem contra a realidade de uma profissão que lhes tolhe os voos. Felizmente estava eu na Tijuca. O senhor conhece esta montanha encantadora. A…

Esta carta do jornalista, jurista e poeta Luiz Gama é resposta ao pedido que lhe fizera o escritor Lúcio de Mendonça para que lhe enviasse informações sobre os fatos dramáticos de sua vida de filho de negra, africana livre, e pai de origem portuguesa. A experiência de vida aqui relatada transformou-o num dos maiores abolicionistas brasileiros: “exauria-se no próprio ardor”, como disse Raul Pompeia no seu enterro. 

São Paulo, 25 de julho de 1880

…Egídio de Souza Aranha, pai do excelentíssimo conde de Três Rios, meu respeitável amigo. Este, depois de haver-me escolhido, afagando-me disse: Hás de ser um bom pajem para os meus…

Em 1868, Machado casou com a portuguesa Carolina Augusta Xavier de Novais, irmã de seu amigo e poeta Faustino Xavier de Novais. A morte da mulher, em 20 de outubro de 1904, depois de 35 anos de convivência, lhe inspirou o antológico soneto “A Carolina”. Machado ainda exprimiu a dor da perda nesta carta a Nabuco.

Rio de Janeiro, 20 de novembro de 1904

…triste amigo velho Machado de Assis Correspondência Machado de Assis & Joaquim Nabuco. Organização de Graça Aranha. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras/Topbooks, 2003, pp. 126-127. [1] N.E.: “Obrigado”….