Em agosto de 1822, na cidade de São Paulo, dom Pedro I, o primeiro imperador do Brasil, iniciara relacionamento extraconjugal que duraria sete anos com Domitila de Castro, futura marquesa de Santos. No começo de 1823, Domitila mudara-se de São Paulo para a corte, no Rio de Janeiro, onde vivia sob a proteção do imperador, que, nesta carta, mostra a intensidade de sua paixão.

Rio de Janeiro, 15 de dezembro de 1827

…não passageiro Imperador Cartas de Pedro I à marquesa de Santos. Notas de Alberto Rangel. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984, p. 367. [1] N.S.: Comportamento vil, ardiloso. [2] N.S.:…

Em maio de 1828, dom Pedro I, viúvo da imperatriz Leopoldina, recebeu a notícia de que a princesa bávara nascida na Itália dona Amélia de Leuchtenberg aceitara seu pedido de casamento. O contrato nupcial exigia o afastamento da amante do imperador, a marquesa de Santos, da corte, no Rio de Janeiro. Para cumprir a exigência do contrato, o imperador lhe escreve esta carta.

Rio de Janeiro, 13 de maio de 1828

…de Santos. Notas de Alberto Rangel. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984, p. 448. [1] N.S.: Diplomata e militar, Felisberto Caldeira Brant, o marquês de Barbacena (1772-1842), viajou para a…

No dia 13 de maio de 1828, dom Pedro I enviou uma carta à marquesa de Santos proibindo-a de permanecer na corte por exigência do contrato de seu casamento com Amélia de Leuchtenberg, princesa bávara nascida na Itália, com quem se casaria no ano seguinte. Esta é a resposta da marquesa.

[Rio de Janeiro, 13 de maio de 1828]

…A marquesa de Santos Cartas de Pedro I à marquesa de Santos. Notas de Alberto Rangel. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984, p. 621. [1] N.S.: Frase inacabada na edição-base….

Cronista de longa e constante carreira nos importantes periódicos do Rio de Janeiro, Rubem Braga, nesta carta, recusa a homenagem que lhe quer fazer o Jornal do Brasil por ocasião do seu aniversário de sessenta anos, em 12 de janeiro de 1973, e conta ao amigo o motivo de sua saída daquele jornal.

Vitória, 26 [de] dezembro [de] 1972

Otto, Procurei durante cinco dias falar com você no Rio, sem conseguir. É que eu soubera, pela Maria Lúcia Rangel, que o Jornal do Brasil pretendia fazer uma página pelos…

Entre a solidão no momento de deixar Paris, onde assumira em 1963 o posto diplomático de delegado do Brasil junto à UNESCO, e os planos para sua chegada ao Brasil, Vinicius de Moraes escreve a Tom Jobim sobre o estado de espírito que o deixa inquieto.

Porto do Havre [França], 7 de setembro de 1964

…não é engraçado? São, como diria o Lucio Rangel, as raízes. Vou agora escrever para casa e pedir dois menus diferentes para a minha chegada. Para o almoço, um tutuzinho…