Em missão oficial de estudos e pesquisa para a qual foi comissionado pela Secretaria do Império, Gonçalves Dias permaneceu na Europa de julho de 1854 a 1858. Sua única filha, Joanna, nasceu em Paris, em 20 de novembro de 1854, e morreu, de pneumonia, em 24 de agosto de 1856, no Rio, para onde voltara com a mãe em busca de melhor clima para sua saúde. Da Europa, quando soube da morte da filha, o poeta escreve à mulher.

Paris, 15 de outubro de 1856

…e adeus. Aceite muitas saudades do seu do coração Gonçalves Dias Anais da Biblioteca Nacional: correspondência ativa de Gonçalves Dias. Rio de Janeiro: Divisão de Publicações e Divulgação de Biblioteca…

Em 1876, dom Pedro II, aos 51 anos de idade, fez sua segunda viagem à Europa. Partiu do Brasil em março e, cumprindo o roteiro, fazia escala nos Estados Unidos, de onde escreveu à condessa de Barral, antes de encontrá-la em Paris. 

Boston, 12 de junho de 1876

…se lembra todos os dias do viajante? Queria enviar-lhe meu diário; mas o tempo é muito escasso, e disse à Isabel que podia comunicá-lo a você. Já antecipei a resposta…

“Soberba página” – classificou Manuel Bandeira esta carta de Gonçalves Dias sobre a grandiosidade da natureza amazônica. Foi escrita quando o poeta de “I-Juca Pirama” chegou a Manaus durante a visita que fez à cidade como etnógrafo da Comissão Científica de Exploração, em que atuou entre 1859 e 1862. Para Bandeira, esta “é a melhor prosa que nos deixou o poeta”, e comparou-a às mais altas páginas de José de Alencar, com “antessabor das de Euclides da Cunha”.

Manaus, 20 de dezembro de 1861

…para tomar fôlego, e continuar mais descansado. Teu do coração Gonçalves Dias Gonçalves Dias. Poesia completa e prosa escolhida. Rio de Janeiro: Editora José Aguilar, 1959, pp. 831-836. [1] N.E.:…

Três dias depois do golpe militar no Brasil, o pensador católico Alceu Amoroso Lima escreveu esta carta à filha, Maria Teresa, religiosa que professava no mosteiro de Santa Maria, em São Paulo. Tristão de Athayde, como ficou conhecido, foi fervoroso crítico do regime dos generais e condena os acontecimentos que, com lucidez, caracterizaria como uma “onda de terrorismo e fanatismo que invadiu o país”.

Petrópolis, 4 de abril de 1964

…em dois dias! Só mesmo o Brasil. Outra notícia é que o Mazzilli, o pateta (mas antes ele que um sargentão), já nomeou alguns ministros civis, inclusive o da Educação,…