Na década de 1960, a dupla Manuel Bandeira e Carlos Drummond de Andrade se articulava para organizar e publicar uma “certa antologia” que incluiria um texto de Antônio Maria. Apesar de o projeto não ter avançado, o cronista pernambucano, emocionado, se dirige ao poeta itabirano nesta carta-crônica.

…em seu bom gosto de, após a procura, me dar toda a razão quando acho que nada do escrevi vale menção. Foi quase tudo feito cavilosamente, para a mulher vigente….

Em 17 de junho de 1962, a seleção brasileira conquistou o bicampeonato mundial, após derrotar a Tchecoslováquia por 3 a 1, no Estádio Nacional do Chile, em Santiago. Dois dias depois, Antônio Maria publicou, com exclusividade, em sua coluna no periódico O Jornal, uma carta de Vinicius de Moraes dirigida ao cronista. Na missiva, o poeta fez mais do que uma análise futebolística aguçada: pensando sobre o Brasil, discorreu sobre a frase “Nós somos um país de pessoas”, dita por Antônio Maria, cronista que completaria cem anos em 2021. As homenagens serão conduzidas pelo Portal da Crônica Brasileira.

Rio de Janeiro, 19 de junho de 1962

…e ficam paralíticos – vale tudo. Nunca a vida humana valeu menos, do que quando Amarildo fez aquele gol de empate. Eu tive que me levantar, discretamente, tomar meu pulso…

Para a festa de cem anos de Paulo Mendes Campos, recolhemos, do acervo, uma pequena amostragem de felicitações de alguns de seus amigos. Às cartas carinhosas de Otto Lara Resende, enviadas nas décadas de 1960 e 1980, se juntam os telegramas objetivos, mas não menos afetuosos, do editor José Olympio e do psicanalista, também seu amigo de longa data, Hélio Pellegrino.

…no Canadá. Há uma terceira que, se está em São João, deve estar à espera de um marido australiano (por aí). Gente andeja. Vale o pretexto para lhe desejar felicidade,…