De seu primeiro posto diplomático, em Vigo, na Espanha, o escritor Aluísio Azevedo escreve esta carta fervorosa ao amigo Pedro Freire, dando provas de arrebatamento fraterno, além de impressões sobre o povo e a cidade. Com relação ao primeiro, compara-o ao do Maranhão, seu Estado natal, sem que tenha Vigo “a índole hospitaleira de nossa terra”.

Vigo, 24 de junho de 1896

…que amo. O meu aí vai por esta mesma via. Teu Aluísio Azevedo Aluísio Azevedo. O touro negro. São Paulo: Livraria Martins Editora, 1961, pp. 124-127. [1] N.S.: Graciosa, garbosa….

Um dos maiores interlocutores de Augusto Boal quando o criador do Teatro do Oprimido esteve exilado, em Lisboa, durante a ditadura militar no Brasil (1964-1985), Chico Buarque certa vez lhe mandou notícias por meio da canção Meu caro amigo, gravada em fita K7 e enviada além-mar. Esta versão, como se pode ouvir na leitura em vídeo ao final da carta,[1] contém trechos excluídos na versão final. O fato só seria revelado publicamente em 2016, quando a equipe do IMS entrevistou o compositor, que se surpreendeu, ele mesmo, com os versos.

Rio [de Janeiro], 20 de julho [de 1975]

…Tenho um amigo aí que trabalha na RTP.[5] Seu nome é José Nuno Martins. É meu conhecido dos tempos do salazarismo e o máximo que eu sei dele é que…

Ator carioca, Armando Nicolau Pinto Martins adotou o sobrenome do tio, o crítico e diretor teatral Paschoal Carlos Magno, após ser por ele adotado depois da morte do pai, irmão…

Premiado em 1938 com a primeira bolsa concedida pelo Conselho Britânico para estudos da língua e literatura inglesas na Universidade de Oxford, é de lá que Vinicius de Moraes escreve aos amigos Rosita e Thiers Martins sobre a vida no país estrangeiro e, sobretudo, sobre sua poesia.

Magdalen [College], Oxford, 24 de janeiro de 1939

Meus caros Rosita e Thiers, Como vai essa vida lírica? Vocês dois são positivamente o casal mais lírico que eu conheço. E a garotada? Ó inveja de vocês! Ó quando…

No ano em que seria instaurado o Ato Institucional nº 5 (AI-5), o Teatro de Arena estreava a Primeira Feira Paulista de Opinião, um espetáculo composto por seis peças escritas pelos mais importantes dramaturgos brasileiros à época, como Augusto Boal e Plínio Marcos. Às vésperas da estreia, a Censura ainda não havia liberado a montagem, o que motiva esta carta-manifesto de Cacilda Becker ao então diretor-geral da Polícia Federal do Brasil, general José Bretas Cupertino. O grupo teatral foi notificado por Brasília, que exigiu o corte de cerca de 80 trechos. Como um ato de “desobediência civil” à ditadura, os artistas decidem executar a Feira Paulista de Opinião na íntegra.

…São Paulo. Entre eles, pintores como Clóvis Graciano, Samson Flexor, Aldemir Martins, Nelson Leirner, Flávio Império, Marcello Nitsche, Maria Bonomi, Aldo Bonadei, Flávio de Carvalho, Mário Gruber, Rebolo, e muitos…