…Mendes Campos/IMS. Lúcio Rangel, Paulo Mendes Campos, Fernando Lobo e Vinicius de Moraes na Casa Villarino (1956). Acervo Paulo Mendes Campos/IMS   No ano passado, a pandemia não acentuou apenas…

Em um encontro de Vinicius de Moraes, Otto Lara Resende e Fernando Sabino na casa do último, em outubro de 1944, o poeta carioca leu e criticou alguns textos de Otto, tomados como exemplo da alma contida, sufocada e bem-comportada dos mineiros. A análise de Vinicius convenceu os amigos da necessidade de mudança nesse panorama literário, o que o levou a escrever esta carta polêmica publicada em O Jornal, do Rio de Janeiro, no dia 5 de novembro de 1944.

…queirais mal, no entanto. Por esta única indizível razão escrevo esta carta contra vós: por muito amar. Vinicius de Moraes O Jornal, Rio de Janeiro, 5 de novembro de 1944….

Vinicius de Moraes escreveu esta carta para seu único filho homem, Pedro, a quem deixa como legado “a insensatez de um coração constantemente apaixonado” – afirma o poeta nesta espécie de testamento poético-afetivo. O legado, na verdade, se revelaria mais concreto: por ter vivido em estimulante ambiente intelectual e artístico, Pedro desenvolveria seu talento para as artes visuais. Tornou-se fotógrafo e coautor, com o pai, do livro O mergulhador, de 1968, obra que reúne fotos suas e poemas de Vinicius. Outro filho que teve a sorte de receber notável carta do pai foi o pianista Nelson Freire, aqui lida em Afetuosamente, o papai. Contrasta com a dura incumbência que deu Rubem Braga ao filho, Roberto Braga, sobre providências a serem tomadas com a sua morte, aqui disponível em Não ceda aos símbolos da morte.  

…Assim é o canto que te quero cantar, Pedro meu filho…     Vinicius de Moraes. Para viver um grande amor. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1962, pp. 218-220….