por Gustavo Zeitel*

Em meio aos escombros causados pelos bombardeios do Estado Islâmico, um carteiro tenta seguir com suas andanças por uma cidade do Oriente Médio. A última carta de Correio noturno (Tabla, 2020), romance da escritora libanesa Hoda Barakat, tem na força destrutiva o último pilar de […]

Para quem tem memória, nostalgia é palavra perigosa. Não que saudosismo seja crime. No Rio de Janeiro, as lamúrias são infinitas. Triste é assistir ao telejornal da hora do almoço e se descobrir morador de um balneário infernal. Triste é não ter vivido a era da Bossa Nova, quando ser carioca era tendência de comportamento. […]

Difícil imaginar a devoção de Glauber Rocha por Eisenstein sem que, certa manhã, tivesse sido expulso do Cine Liceu depois de tagarelar durante uma aula do crítico Walter da Silveira sobre O Encouraçado Potemkin. O garoto, sempre comparado pelo mestre a Castro Alves, a imagem da genialidade em flor, abandonou o deboche e caiu de […]

A névoa poderia se chamar fog, mas a industrialização já havia transbordado para o outro lado da Mancha. No fim do século XIX, o espetáculo da pobreza era uma festa diáfana em Paris, cidade onde a visão da paisagem ficava, frequentemente, flou. O crepitar das máquinas servia de trilha sonora ao balé da maré humana, […]